Camboriu
As praias de Balneário Camboriú

Rivo Biehl.

Praia Central, a mais movimentada. Com apenas 6,5 Km, em seu eixo está a maioria dos produtos e serviços para moradores e turistas.

Praia Central, a mais movimentada. Com apenas 6,5 Km, em seu eixo está a maioria dos produtos e serviços para moradores e turistas.

Praia Central
A praia central, com cerca de 6 Km de extensão, é a mais frequentada porque a cidade se formou em torno dela, mas os moradores de Balneário Camboriú costumam mais praticar esportes (ginástica, vôlei, futebol, caminhada) do que tomar banho de mar.

 

Já os surfistas se concentram no melhor ponto, nas imediação da Galeria Maxim´s. Para banho a praia central é mais utilizada pelos turistas. É ao longo da praia central que se concentram os principais serviços como restaurantes, hotéis etc.

 

Praia Brava

Foto: arquivo JP3.

Ao norte da praia central, ainda é a preferida pela juventude descolada da região e nem fica em Balneário Camboriú, se localiza em Itajaí, mas daqui até lá é um pulo, pela Estrada da Rainha que foi construída há poucos anos e trouxe bastante desenvolvimento para um bairro residencial de Balneário, a Praia dos Amores.



Apesar do nome, a Praia dos Amores não tem praia, a divisa municipal com Itajaí deixou um lado sem mar e o outro com a Praia Brava. A Brava tem um razoável comércio, bares e restaurantes bastante frequentados e uma série de quiosques que são ponto de reunião dos surfistas.
 

 

Praias ao Sul da Praia Central - Interpraias

Uma das principais referências, se o assunto for belezas naturais de Balneário Camboriú, está do outro lado do rio: a Costa Brava, que concentra as chamadas praias agrestes, um patrimônio que não tem preço e que precisa ser conservado a qualquer preço.

 

Um simples passeio por elas, começando por Laranjeiras, Taquarinhas, Taquaras, Pinho, Estaleiro e Estaleirinho, já enche os olhos, o cenário é deslumbrante e inesquecível. Mas quem puder, deve frequentar cada uma delas e terá seis dias de belas recordações.

 

Essa região é formada por sete praias, ligadas por uma estrada panorâmica, a Interpraias, ou por serviço de “barco-táxi”. A Costa Brava é o principal patrimônio ecológico do município, uma Área de Proteção Ambiental (APA), cuja ocupação é disciplinada em lei.

 

Uma viagem por estas praias exige tempo e dedicação: é programa para quem gosta de curtir a vida, água, sol e areia clara. Ao longo da Costa Brava há excelentes restaurantes e algumas “arapucas”, onde o turista come mal e é explorado. Procure se informar antes de puxar a cadeira para uma refeição.

 

 

Laranjeiras, a mais frequentada

 

 

É a primeira, fica a 6km do centro de Balneário. Em forma de baía, tem área limitada, são apenas 750m de areia, não tem ondas grandes, perfeita para o banho da família, principalmente quando tem filhos pequenos. É a mais próxima do Centro e extremamente concorrida.

 

A “invasão” pode ser feita por terra -Rodovia Interpraias-, através de barcos que transportam turistas entre a Barra Sul e Laranjeiras ou por um teleférico com 47 cabines para 6 pessoas. Existe ainda o transporte coletivo regular, com micro-ônibus, que ligam ao centro da cidade de meia em meia hora.

 

Tem infra-estrutura, bares, restaurantes e um trapiche para atração de barcos. Na alta temporada a ocupação da restrita areia gera polêmica, porque os bares cobram para servir nas mesas ali dispostas. 

 

Taquarinhas, a mais preservada

 Foto: Rivo Biehl.

Se for visitar Taquarinhas não esqueça das cadeiras, guarda-sol e um isopor com comida e bebida. O mar é forte e a praia não tem salva-vidas ou qualquer outro tipo de infra-estrutura. O local ainda é preservado e pede-se aos turistas não deixar lixo ou prejudicar a vegetação nativa. Existe um projeto em tramitação na Assembléia Legislativa de Santa Catarina para transformar Taquarinhas em parque estadual, com visitação controlada.

 

Taquaras, cenário de mar e costões

Foto Rivo Biehl.. 

Fica no meio da Costa Brava, uma pequena ex-comunidade de pescadores com o mar à frente e a Mata Atlântica ao fundo. Até alguns anos Taquaras era menos frequentada que as demais praias de Balneário Camboriú, pois o mar nem sempre oferece condições ideais para banho. Nos últimos anos, com a conclusão da estrada Interpraias, muitas residências de moradores fixos foram construídas naquela praia, melhorando a oferta de resturantes e comércio que no entanto ainda é limitada.

Em Taquaras fica a Ponta do Santinho, um minúsculo espaço de areia, isolado pelos costões de pedra e com uma sombra natural das árvores que se projeta desde a encosta do morro. Sob a água azul está oculta uma rica flora e fauna aquática, ideal para mergulho de observação. O local é uma piscina natural, recomendável também para crianças, com as enormes pedras do costão proporcionando bons mergulhos.
 

 

Pinho, a mais famosa

Foto: arquivo JP3 

Uma das primeiras praias brasileiras para a prática do naturismo, tornou-se famosa no país e fora dele, porque recebe turistas de várias partes do mundo. Bela, quase deserta, fica entre morros e costões.

 

É administrada por uma associação, tem camping, um mini hotel, algumas moradias fixas, restaurante e bar. O acesso é pela Interpraias, mas só entra quem seguir as regras do local.

 

Estaleiro,  a melhor para surfar

 

Foto: Rivo Biehl. 

Uma paisagem deslumbrante como as outras praias agrestes, porém não é indicada para banho. Praia de tombo, com ondas fortes, exige conhecimento para mergulhar ou nadar.

 

O surf é frequente, principalmente no canto direito da praia, mas há localismo: as ondas quebram sempre no mesmo lugar e três ou quatro surfistas na água já representam lotação máxima. 

 

Vale a caminhada na areia e nos costões, sempre com muita atenção aos escorregões e se mantendo nas pedras que estiverem totalmente secas. A vista é compensadora. 

 

Do lado esquerdo da praia existe uma casinha de pescadores, que ainda mantêm a tradição da pesca artesanal. Ao longo da praia também se encontra a pesca de arremesso. Ainda há muitas famílias nativas morando no bairro. 

 

Nesse trecho da Avenida Interpraias vale destacar o tradicional Bar do Valdir, com sinuca e cerveja gelada; o restaurante Recanto do Estaleiro, com feijoada aos sábados; e a Achados do Brasil, conceituada loja de artesanato, com peças escolhidas a dedo pelos proprietários. 

 

Há diversas pousadas. Não há banheiros públicos, apenas nos restaurantes que funcionam no meio da praia, próximo ao único posto salva-vidas, que só é ativado no verão. De todos na beira mar o único que se mantém fora de temporada é o Batuque na Cozinha. 

 

É preciso ficar atento à segurança, principalmente com os carros estacionados.

 

 

Estaleirinho virou point de baladas

 Foto: Caroline Cezar.

Logo ao lado do Estaleiro, a praia do Estaleirinho já tem fama de ser ponto de baladas, com maior destaque para as casas Sky Beach, e Parador Hotel,  respectivamente restaurante e hotel onde funcionam “days partys”, ou festas na praia, durante o dia, e eventualmente à noite e em datas especiais. A praia fica lotada e em clima de “night”: paquera, djs, cerveja e petiscos.

 

Do lado esquerdo da praia o ambiente é mais sossegado, e o que predomina é a paisagem. Há surfistas nos dias com ondas e essas quebram bem no raso, o que exige atenção dos banhistas e experiência de quem surfa. A faixa de areia não é muito larga e há um posto salva-vidas no meio da praia.

 

Também não há banheiros públicos, somente nos estabelecimentos comerciais.

 

Na Interpraias funcionam hotéis, pousadas e há diversas casas para alugar. Há duas padarias, algumas lanchonetes, mercerarias e a pizzaria Estaleirinho, única ao longo da avenida.


Quinta, 13/3/2014 15:51.










© Diretos reservados - Jornal Página 3