“A falta de responsabilidade está prejudicando a economia”, analisa presidente do BC Convention

Relacionadas

O significativo aumento dos casos de Covid19 em Balneário Camboriú e região nas últimas semanas, voltou a preocupar os empresários do turismo, que vem sendo diretamente afetado pela pandemia. O setor estava sendo retomado, tanto que os últimos três feriados prolongados, lotaram as praias. Além disso, todos os finais de semana, com tempo bom, as praias ficam lotadas.

O atual cenário de crescimento dos números de Covid-19 pode ser uma consequência deste movimento e pode impedir a realização do Reveillon, o que ainda não foi decidido. Assim como promover o show de fogos pode acelerar os números e prejudicar o turismo nos meses seguintes, março e abril, que vêm tendo boa procura.

A presidente do Balneário Camboriú Convention & Visitors Bureau, Margot Rosenbrock Libório (foto abaixo) analisou o atual cenário, e ainda falou sobre o fechamento das fronteiras com os países do Mercosul e a possibilidade do cancelamento do Réveillon na cidade.

“Fronteiras fechadas não impactam tanto nosso turismo”

Foi anunciado segunda-feira (16), pelo Governo Federal, a prorrogação pelo prazo de 30 dias do fechamento das fronteiras com a Argentina, Venezuela, Uruguai, Bolívia, Colômbia, Guiana Francesa, Suriname, Paraguai e Peru, o que impede a entrada de estrangeiros no Brasil, por rodovias ou outros meios terrestres ou aquaviários. Voos seguem mantidos, por exemplo, há atualmente rotas de Buenos Aires à São Paulo, e a companhia Aerolineas Argentinas já anunciou que fará o itinerário Buenos Aires x Florianópolis.

A presidente do BC Convention, Margot Rosenbrock Libório, salienta que a decisão do fechamento das fronteiras terrestres não afeta de forma muito expressiva Balneário Camboriú, mas que reservas de alguns estrangeiros começaram a crescer na última semana.

“Mas não é algo que nos impacta muito, o nosso turismo segue sendo regional, principalmente nos três estados do sul e São Paulo. Temos que continuar nos cuidando, porque esse vírus é ‘democrático’, ele pode ser transmitido para e por todo mundo, que é o que está acontecendo”, comenta.

Margot, que é proprietária de dois hotéis da cidade – Bella Camboriú e Hotel Rosenbrock, opina que o fechamento das fronteiras segue a linha de prevenção ao Covid e que as pessoas precisam entender que a falta de consciência com os cuidados para não transmitir o vírus afeta diretamente a economia.

“Não basta as fronteiras estarem abertas se o Covid não estiver minimamente controlado. Porém, não é só o governo que precisa agir, precisamos de responsabilidade individual, de cada pessoa. Temos que ter consciência que essa falta de responsabilidade está prejudicando a economia. É preciso dessa consciência individual para não ser necessário o lockdown, ninguém quer isso. Santa Catarina, por exemplo, depende muito do turismo, essa ‘economia invisível’, que muitas pessoas sentiram neste ano a importância dela”, diz.

Réveillon: “Podemos virar notícia negativa”

A hoteleira cita que ainda não conversou com todos os associados da entidade, mas que em sua opinião é delicado fazer a queima de fogos e gerar um grande aglomero de pessoas na virada de 31 de dezembro para 1º de janeiro e isso comprometer ‘a sequência da temporada’.

“Já temos muitas reservas para março e abril, e se acontecer uma aglomeração muito grande dia 31 pode comprometer os próximos meses, e podemos virar notícia negativa. Itajaí não vai fazer, Itapema e Florianópolis também não. Sabemos que as cidades vizinhas não fazendo, muitos moradores da região virão pra cá, e aí fica a dúvida: isso é mesmo necessário? Será que vale mesmo a pena? São as pessoas que transmitem o vírus, e já sabemos que é complicado fiscalizar e incentivar que as pessoas mantenham o distanciamento e usem máscara”, comenta, citando que vê que agora é tempo de analisar se a realização do Réveillon seria algo responsável. “Já houve a manifestação do Ministério Público contra, passou a eleição também. É preciso ver os prós e contras que essa festa pode causar para a temporada e para a saúde pública. O distanciamento já é mínimo aos finais de semana e feriados, imagina no Ano Novo”, acrescenta.

Balneário está ‘se renovando’

A presidente salienta que a pandemia serviu para unir os empresários do turismo de Balneário ainda mais, e que mesmo com a crise a cidade está ‘se renovando’, citando a inauguração de três novos empreendimentos turísticos, que serão lançados no próximo mês: a roda-gigante FG Big Wheel, a Pizza do Pirata (pizzaria temática) e o Classic Car Show – Museu do Automóvel.

“Balneário é um destino muito família, ouso dizer que 60% do nosso público atual é esse. É muito bacana essa renovação que vem acontecendo, que irá ‘concentrar’ o público em diversos locais da cidade. Por exemplo, a família pode passar um dia no Unipraias, no Barco Pirata, passar no Oceanic Aquarium e jantar na Pizza do Pirata, e em outro dia ir no Pontal Norte na roda-gigante, tem o Fun Museu também, que é um ambiente ‘instagramável’ e que é muito bacana para as crianças e jovens”, aponta.

Mais notícias dessa editoria

Advertisment

Leia também

Após brigar com a mulher, sequestrador foragido foi preso em Camboriú

Um homem que estava foragido da Justiça por sequestro e cárcere privado foi preso na madrugada desta quarta-feira (25) após discutir com a esposa,...

Sebrae/SC busca empresas da Foz do Itajaí para atuação de Agentes Locais de Inovação

As micro e pequenas empresas das 19 cidades da Foz do Itajaí ainda podem se inscrever para seleção do projeto Agentes Locais de Inovação...

Quadrilha que roubava caminhões foi alvo de operação na região

A Polícia Civil cumpriu três mandados de prisão e quatro mandados de busca e apreensão em Itapema, Navegantes, Itajaí e Tijucas, nesta quinta-feira...