Após questionamentos de moradores, forças de segurança discutem fiscalização de festas em lanchas

Relacionadas

Moradores do Bairro da Barra e da Barra Sul relataram ao Conselho Comunitário de Segurança de Balneário Camboriú (CONSEG BC) os problemas que passam com festas em lanchas. O assunto foi debatido na reunião do Conselho Municipal de Segurança Pública de Balneário Camboriú – COMSEP, na noite de segunda-feira (1º), que contou com a participação das forças de segurança da cidade.

Quem levou o tema ao COMSEP foi o presidente do CONSEG, o advogado Valdir de Andrade. 

Ao Página 3, ele contou que moradores da região sul, principalmente da Barra e Barra Sul, reclamam muito sobre a ‘baderna’ causada por lanchas. 

“Nesse último final de semana falaram que foi muito complicado. E quem causa isso são grupos de jovens que alugam embarcações e ainda unem as lanchas, ficando três, quatro juntas, e com música acima dos decibéis permitidos, fazendo festa o dia todo. Fora que o som na água se reverbera, potencializa”, explica.

Valdir destaca que hoje somente quem tem poder de fiscalizar e autuar é a Marinha. 

Diante disso, pretendem fazer uma reunião com a Capitania dos Portos, de Itajaí, que ainda neste mês deverá trocar de comando, para encaminhar um ofício e ver se pode ser feito um convênio. 

“Fizemos uma minuta baseada na de Porto Belo, do Caixa D’Aço, porque entendemos que Balneário precisa ter poder de fiscalizar. Com esse convênio, poderia fiscalizar as embarcações tanto a Guarda Municipal, como Polícia Militar, Fiscalização de Posturas, Secretaria do Meio Ambiente, Corpo de Bombeiros, etc. Com criação de Fundo específico, todo o valor das infrações iria para ele, para investimento na área. Mas enquanto não tem convênio, queremos que façam operações individuais”, acrescenta.

Mais notícias dessa editoria

- publicidade -

Leia também