Audiência pública vai discutir segurança de Balneário Camboriú nesta quinta-feira

Relacionadas

Uma audiência pública sobre a segurança de Balneário Camboriú, organizada pelo vereador Marcelo Achutti acontece nesta quinta-feira (2), a partir das 18h30, na Câmara de Vereadores.

Todos os envolvidos com a área da segurança da cidade foram convocados e devem comparecer. A audiência é aberta para toda comunidade.

Originalmente marcada para 5 de maio, a audiência foi adiada devido ao falecimento da ex-vereadora e ex-presidente do Legislativo, Remi da Silva Osório.

Vereador quer saber mais sobre roubos e furtos na cidade

Segundo o vereador Marcelo Achutti, o objetivo da audiência é tratar a questão da segurança. Ele usa como exemplo o recente arrombamento à loja Tamoyo, ocorrido no final de semana (saiba mais aqui).

Marcelo Achutti (Gabinete/Vereador)

“O objetivo é compreender como Balneário, que possui Guarda Municipal, Guarda Patrimonial, câmeras de segurança por todos os lados, está tendo um número tão alto de furtos e roubos. Não é em tom de crítica, sem vaidades, e sim para buscar compreender como isso vem acontecendo”, diz.

Integração das forças de segurança

Achutti disse que também questionará o secretário Antônio Gabriel Castanheira Junior e o comandante do 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Balneário Camboriú, Tenente-Coronel Daniel Nunes da Silva, sobre a situação da integração das forças de segurança da cidade.

“Se tivéssemos, poderíamos unir os números de guardas municipais e patrimoniais, agentes de trânsito, policiais militares e civis e teríamos um dos maiores efetivos de Santa Catarina. Afinal, Balneário é uma cidade minúscula, de 47m², com duas entradas e duas saídas. Não estou criticando, não gasto mais saliva para criticar o Castanheira. Só quero compreender como temos o número que temos de agentes de segurança e acontecem tantos crimes”, acrescenta.

“Meu intuito não é gritar e sim resolver o problema”

O vereador disse que não sabe se todos os envolvidos com a área de segurança irão à audiência, mas pontua que todos foram convocados. 

Ele aproveita para citar que é muito importante que a comunidade participe, inclusive para repassar denúncias e interagir com a GM, PM e Polícia Civil. 

“Meu intuito não é gritar e sim quero resolver o problema, compreender o que vem acontecendo em Balneário Camboriú. Há um bom tempo a comunidade vem apontando que vagabundagem tomou conta do centro, e a GM finalmente olhou para isso e está fazendo a operação (saiba mais aqui)”, pontua.

Achutti segue dizendo que a Câmara não é lugar para brigas e nem para ‘agredir Ministério Público ou Judiciário’. 

“Quero que digam se existe integração entre as forças ou não, como ela acontece, quantas vezes se reúnem, onde são as reuniões…. Para mim, a integração não existe, mas precisa existir. A comunidade quer isso!”, completa.

Mais notícias dessa editoria

Advertisment

Leia também