Por Rogério Cléle

A maior crise sanitária do século XXI, o Corona Vírus, impactou e ainda impactará drasticamente as estruturas sociais, políticas e econômicas de países, estados e cidades do mundo a fora. Mesmo os melhores especialistas no assunto, são incapazes de mensurar os reais efeitos que o vírus trará para vida de todos.

Além de um saldo de milhares de mortes, os dados mostram que o COVID19 atingiu em cheio a economia do mundo. Para Angel Gurría, Secretário-Geral para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), os efeitos econômicos dessa pandemia já são maiores que a crise financeira de 2008.

No Brasil, os impactos não estão e não serão diferentes. Já no primeiro trimestre de 2020, de acordo com dados do IBGE, o PIB do país apresentou uma retração de 1,5% e a previsão dos economistas é que haja uma queda de 6,25% do PIB do país. Diante desses dados, é natural que as os municípios sintam os efeitos dessa pandemia, cabe a nós, cidadãos balneocamboriuenses, uma reflexão URGENTE, de qual cidade teremos pós-pandemia.

Como exposto, nenhuma previsão é exata ou realista dos reais efeitos dessa pandemia, no entanto, é de extrema importância que as lideranças políticas municipais e a própria sociedade como um todo, se esforcem em realizar um exercício de reflexão dos caminhos a serem tomados para mitigar esses efeitos, haja vista que, é na cidade que a vida das pessoas acontecem, que os empregos são gerados e que as políticas públicas são implementadas de forma efetiva.

Ouso aqui apresentar cinco temáticas que a serão desafios a serem enfrentados pela cidade nos próximos anos, algumas delas, com ações já iniciadas, outras ainda não.

1 – Revisão urgente no Plano Diretor . Principal instrumento de planejamento da política urbana de uma cidade, ajuda a apontar um norte de crescimento urbanístico, que no caso de Balneário Camboriú, influência no desenvolvimento econômico devido a construção civil, e que na teoria, deve ser construído de forma coletiva entre sociedade e poder público. De acordo com o Estatuto das Cidades, o plano deve ser revisto a cada dez anos, no caso, estamos atrasados a três anos;

2 – Desenvolvimento de novas matrizes econômica. O Corona Vírus nos fez enxergar o quanto ainda somos dependentes do turismo e da construção civil em Balneário Camboriú, e o quanto a saúde econômica da cidade é afetada no caso de uma crise, ainda que sanitária, nesses setores. Nos últimos anos Balneário tem apresentado esforços no sentido de diversificar sua matriz econômica, principalmente com ações como a Sala do Empreendedor e o Inova BC, porém, os resultados ainda estão distantes do ideal, para ser identificada como uma cidade que soube também, desenvolver-se na área da tecnologia e inovação.

3 – Cidade vista sobre um olhar regional: Já não é de hoje que se tem defendido que algumas ações da cidade deve ser pensada e planejada de forma regional, principalmente assuntos ligados a área de saúde e de transporte público. A pandemia evidenciou a importância que o Hospital Ruth Cardoso tem para a região, uma vez que tem servido de referência do acolhimento e tratamento do COVID19 para outros municípios. O transporte público sofreu um revés. A empresa que possui concessão do transporte público na cidade, afirma que não tem mais condições de prestar o serviço, uma vez que, nos últimos anos tem amargado prejuízos financeiros devido ao modelo atual de subsídio.

4 – Representatividade Política: Nossa representatividade política a nível estadual e federal não é condizente com com a importância que a cidade tem para o Estado e para o Brasil. O último Deputado Estadual eleito,com raízes na cidade foi eleito em 2014, e o último representante na Câmara Federal foi eleito em 1995, ou seja, temos uma vacancia de representantes eleitos que possam defender os interesses legítimos da cidade.

5 – Um olhar para o futuro: A cidade completará este ano 56 anos, uma cidade jovem em relação a outras tantas do Brasil. Para onde vamos crescer? Quais serão nossas matrizes econômicas? Como vamos nos locomover? Como será nossa qualidade de vida? Como será o futuro de Balneário Camboriú? É essencial criar um ambiente que incentive os cidadãos a refletirem sobre o futuro da cidade juntamente com o poder público, e que essa reflexão possa servir de estímulo para que juntos, possamos encontrar caminhos alternativos para uma cidade pós-pandemia.

Rogério Cléle
Administrador Público