Batida do Gaeco na prefeitura de Balneário Camboriú decorreu de suspeitas sobre dois secretários

Relacionadas

A batida do Gaeco nesta segunda-feira, 25, com autorização judicial para busca e apreensão de documentos, visa esclarecer se os secretários Victor Hugo Domingues (Controle Governamental e Transparência Pública) e Gabriel Castanheira (Segurança Pública) se acumpliciaram ou não na produção de documento falso para livrar Castanheira de processo movido pelo Ministério Público.

Castanheira era investigado pelo Ministério Público, por usar veículos da prefeitura para fins particulares, em constantes deslocamento a Curitiba, mas a investigação foi encerrada no começo deste mês, após o surgimento de um parecer de 2018, supostamente assinado por Victor Hugo, que autorizava o uso dos carros.

A reviravolta ocorreu ontem porque o Ministério Público teria recebido informação de que o documento é falso, supostamente forjado para livrar Castanheira da investigação.

Consultado através da assessoria de imprensa da prefeitura, Victor Hugo disse que “aguarda acesso aos autos processuais para conhecer o inteiro teor do pedido da 9° Promotoria de Justiça do Ministério Público”.

Gabriel Castanheira, informou através da assessoria que “segue informando tudo que foi solicitado e lamenta a politização dessa discussão: um filiado ao partido de oposição, ativista político, espalhando informações sem qualquer fundamento para destruir reputações, é inaceitável. Seguirei fazendo minha parte. Vagabundo e marginais são o meu alvo, sempre”.

Mais notícias dessa editoria

Advertisment

Leia também