Cineclube Irani apresenta o cinema brasileiro de ontem e de hoje

Relacionadas

O Cineclube Irani oferece sessões gratuitas nos dias 3, 17 e 31 de julho, e celebra a história e os movimentos do cinema brasileiro, estabelecendo um diálogo entre passado, presente e futuro do nosso cinema.

A curadoria foi realizada pelo cineasta Christopher Faust que batizou o cineclube como homenagem ao cineasta catarinense Rogério Sganzerla, diretor do curta-metragem “Irani”, de 1983, um documentário que registra a festa popular relacionada a Guerra do Contestado, que acontece na homônima cidade catarinense, filme que será exibido neste dia 19.

Presencial, o evento acontece na tela da Sala Cinefilia na Arthousebc, Balneário Camboriú (Rua São Paulo, 581-1, Bairro dos Estados), seguindo todos os protocolos de segurança como medida de combate ao covid-19. Ao invés a apresentação de críticos, os pesquisadores de cinema Wellington Sari e André Gatti fizeram vídeos críticas dos filmes que serão transmitidos em cada sessão, o debate relacionado aos filmes continuam em nosso exclusivo grupo de Whatsapp da Arthousebc. 

Além disso, o cineclubista receberá links com materiais de pesquisa e críticas sobre os filmes exibidos.

O Cineclube Irani foi contemplado pelo Edital de Concurso Público No. 024/2020, “Prêmio Catarinense de Cinema Edição 2020” com produção realizada por Santiago Asef, Anderson Simão e André Gevaerd, que formam equipe com Raquel Pitz, Natan Tomaz e Brianne Lee para a realização das sessões. A arte de pôster foi realizada por Laila Gebhard.

Participe e ganhe brindes e prêmios

Os espectadores serão presenteados com brindes variados por sessão entre lembranças como ímã de geladeira do Metrô Festival de Cinema Universitário, adesivos e canetas da Cineramabc, que são acompanhadas de um mimo maior como pôsteres exclusivos, DVDs de curta-metragens da produtora “O Quadro”, Taça de vinho ou cerveja do Barbarella Café, entre outros.

Além dos brindes oferecidos, após as sessões, a Arthousebc dará um prêmio exclusivo para os cinéfilos mais assíduos. Livros, roupas, LPs, entre outros. Assim, por exemplo, o cinéfilo que completar 4 sessões será premiado com o livro “Contos Morais e o Cinema de Éric Rohmer”, de Alexandre Rafael Garcia. Aqueles que completarem 8 sessões recebem outros prêmios e posteriormente os poucos que completarem 12 sessões, ganham a premiação máxima.

Os filmes

Dia 3 – 17h 

“Arábia” de Affonso Uchoa e João Dumans

Ao encontrar o diário de um trabalhador, numa vila operária em Ouro Preto, o jovem André entra em contato com a comovente trajetória de vida de Cristiano, em meio às mudanças sociais e políticas do Brasil nos últimos dez anos. (Drama, 98 min, 16 anos, Minas Gerais, 2017, Longa)

“República” de Grace Passô

Numa noite, uma brasileira desperta num país exausto de atos violentos. República é um curta-metragem realizado em casa, no início da quarentena de 2020, no Centro da cidade de São Paulo, no bairro República. (Drama, 15 min, 14 anos, Minas Gerais, 2020, Curta)

Dia 17 – 17H

“À Meia-Noite Levarei Sua Alma” de José Mujica Marins

O sádico e cruel coveiro Zé do Caixão pretende gerar um filho perfeito para dar continuidade ao seu sangue. Mas sua mulher não consegue engravidar e ele acaba violentando a mulher do seu melhor amigo. A moça violentada pelo coveiro quer se suicidar, para regressar do mundo dos mortos e levar a alma de Zé do Caixão. (Terror, 81 min, 16 anos, São Paulo, 1964, Longa)

“Amor Só de Mãe” de Dennison Ramalho

Numa aldeia de pescadores, acontecimentos macabros se desenrolam numa noite de satanismo, morte e orações à Nossa Senhora da Cabeça. (Terror, 21 min, Livre, São Paulo, 2003, Curta)

Dia 31 – 17H

“A Mata Negra” de Rodrigo Aragão

Numa floresta do interior do Brasil, uma garota vê sua vida – e a de todos ao seu redor – mudar terrivelmente quando encontra o Livro Perdido de Cipriano, cuja Magia Sombria, além de outorgar poder e riqueza a quem o possui, é capaz de libertar uma terrível maldição sobre a terra. (Terror, 98 min, 16 anos, Espírito Santo, 2018, Longa)

“Zornit” de Marcello Trigo

Um escritor de ficção científica vê um de seus contos ganhar vida. A criatura Zornit controla-lhe a mente, fazendo com que os limites entre realidade e a ficção fiquem difusos, levando o escritor à loucura. (Terror, 23 min, 16 anos, Pernambuco, 2017, Curta)

Informações 

  • Onde – Arthousebc / Rua São Paulo 581-1 / Bairro dos Estados 
  • Quanto – Gratuito e ingresso retirado na bilheteria
  • Bilheteria – Aberta 30 min antes da sessão começar
  • Realização – Arthousebc / Comunica

Texto – Raquel Pitz

The post Cineclube Irani apresenta o cinema brasileiro de ontem e de hoje first appeared on Página 3 – Notícias de Balneário Camboriú.

Mais notícias dessa editoria

Advertisment

Leia também