Dengue só aumenta na região, Balneário Camboriú tem 34 casos e 25 em investigação

Relacionadas

O mosquito Aedes aegypti está em alta no país. De acordo com números divulgados pelo Ministério da Saúde já são mais de 450 mil casos de dengue no país este ano, um aumento superior a 100% se comparado aos primeiros meses do ano anterior. Ainda segundo o Ministério, este ano 131 pessoas morreram por causa da dengue.

A região sul aparece em segundo lugar no número de focos, especialmente o Paraná que declarou epidemia de dengue há poucos dias.

Em Santa Catarina, o sistema epidemiológico da dengue registrou no período de janeiro a 21 de abril 31.703 focos em 218 municípios dos quais 126 considerados infestados. Casos confirmados 20.539 e 16 óbitos.

Em Balneário Camboriú

Esta semana o Programa Municipal de Combate à Dengue da Secretaria da Saúde registrou 755 focos do mosquito, 34 casos (18 autóctones, 10 indeterminados e 6 importados) e outros 25 em investigação, além de um caso de chikungunya (não residente).

No último dia 11 de abril, haviam 22 casos de dengue na cidade, dos quais 15 autóctones, 4 importados e 3 indeterminados, além de um chikungunya não residente e 675 focos.

“Houve um aumento muito rápido em toda região. Por isso a população deve redobrar os cuidados e utilizar o repelente”, insistiu a diretora da Vigilância Ambiental de Balneário Camboriú, Eliane Guedes Casatti

O Programa faz visitas domiciliares o ano todo, os agentes (sempre uniformizados e identificados) orientam e buscam possíveis focos da larva em qualquer depósito de água, por menor que seja. O Programa faz seguidos mutirões nas regiões mais afetadas. Também aplica o fumacê sempre que necessário. Mas todo esse esforço não consegue resolver o problema sozinho.

“A população precisa fazer a sua parte, ajudar a combater de todas as formas”, pede mais uma vez a diretora responsável pelo Programa.

Como ajudar?

Essa ajuda não toma mais que do 10 minutos de tempo. Uma ‘vigilância’ no pátio, no jardim, na horta, na calçada, à procura de qualquer poça d´água e dentro de casa, eliminando os possíveis focos. 

Além disso, seguir as dicas da saúde municipal:

  • Colocar areia nos pratos de plantas;
  • Lixeiras tampadas;
  • Depósitos d’água sempre vedados, principalmente as caixas d’água;
  • Bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;
  • Água da piscina tratar com cloro e limpe-a uma vez por semana;
  • Ralos sempre fechados e desentupidos;
  • Potes de comida/água dos animais lavar com escova;
  • Calçadas vistoriar qualquer desnível que acumula água;
  • Tampa do vaso sanitário sempre fechada;
  • Entulhos evitar sempre;
  • Repelente é recomendado;
  • Denunciar possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde;
  • Sintomas: caso apresente sintomas de dengue, chikungunya ou vírus da zika, procurar logo uma unidade de saúde.

Informações: telefone (47) 3261-6264 para confirmar a visita. A equipe atende denúncias feitas à Ouvidoria Municipal, pelos telefones (47) 3267-7024, 0800 644 3388, ou WhatsApp (47) 99982-1979.

Mais notícias dessa editoria

Advertisment

Leia também