Escola Cívico-Militar em Balneário Camboriú foi aprovada pela comunidade escolar do Antônio Lúcio sem votos de alunos

Relacionadas

A Secretaria da Educação divulgou nesta segunda-feira (14) o resultado da consulta feita semana passada à comunidade escolar do Centro Educacional Municipal Antônio Lúcio, no Bairro das Nações, que recebeu aprovação de 80,4%.

A aprovação maciça, com 80,4% foi dos 192 pais com votos válidos.

Dos 31 funcionários com votos válidos, 65,6% apoiaram a iniciativa, mas os grandes ausentes foram os alunos, pois apenas os maiores de 16 anos podiam votar e, dos que 7 que votaram, nenhum voto foi considerado válido.

Um grupo de professores manifestou-se contrário à implantação. Dos 72 professores do Antônio Lucio, 14 participaram de um manifesto contrário. Destes 14, segundo informou a prefeitura, um estava em licença médica, um em licença temporária e um é aposentado, caindo para 11 os votantes contrários. 

Diante do resultado, a Secretaria de Educação inicia as reuniões com o corpo docente da escola, representantes do Ministério de Educação e Cultura (MEC) e comunidade. 

O Programa será implantado na escola ainda neste ano letivo.

Mais verbas

A secretária de Educação, Marilene Cardoso disse que a Proposta Curricular do Município não será alterada, o corpo docente continua igual, com a mesma proposta, o que muda é o aumento de recursos para a escola.

“A função dos militares que estarão no processo é de atuar na gestão educacional, como apoio no processo pedagógico, tendo como finalidade a melhoria dos indicadores. Além disso, aumenta o investimento para a escola, por parte do governo federal” explica.

Mais 9

O Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares, desenvolvido em mais nove municípios catarinenses, tem por objetivo implantar o modelo de gestão de excelência em unidades escolares públicas do ensino regular, em escolas que ofereçam as etapas finais do Ensino Fundamental e do Ensino Médio, a fim de promover melhorias no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB ). 

Critérios

Para ingressar no Programa a escola deve atender certos critérios, entre eles ter registrado desempenho abaixo da média estadual no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), e ter alunos em situação de vulnerabilidade social. 

A adesão ao Pecim é voluntária, mas a escola precisa manifestar interesse junto à Secretaria de Educação.  

Uma das ações necessárias para a implementação do programa, é a realização da consulta pública formal com a participação da comunidade escolar, o que em Balneário Camboriú apresentou alto índice de aprovação.  

Fonte: Comunicação/PMBC

The post Escola Cívico-Militar em Balneário Camboriú foi aprovada pela comunidade escolar do Antônio Lúcio sem votos de alunos first appeared on Página 3 – Notícias de Balneário Camboriú.

Mais notícias dessa editoria

Advertisment

Leia também