IFC abre chamada pública para atletas paralímpicos interessados em ter um cão-guia

Relacionadas

O Instituto Federal Catarinense (IFC) está com as inscrições abertas, até o próximo dia 15, para o cadastro de atletas paralímpicos interessados em ter um cão-guia. A chamada pública é resultado de um trabalho conjunto realizado entre o IFC e a Secretaria Nacional de Esportes de Alto Rendimento (SNEAR), com apoio do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB).

De acordo com a diretora-geral do IFC Camboriú, Sirlei Albino, a ideia de contemplar com cães-guia os atletas paralímpicos surgiu de uma visita do secretário nacional de esportes de alto rendimento, Bruno Souza, para tratar sobre a construção do Complexo Esportivo da instituição. Na oportunidade, o secretário conheceu o Centro de Formação de Treinadores e Instrutores de Cães-guia, que está localizado no campus Camboriú. 

“Permitir que nossos atletas tenham cães-guias é uma forma de incentivá-los a ter mais independência, e isso tem impactos até mesmo nos treinamentos”, prossegue Bruno. 

“É uma iniciativa importante porque vai permitir que atletas cegos tenham a rotina facilitada por meio desses cães-guias”, acrescenta Mizael Conrado, presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro.

Segundo o secretário especial do Esporte do Ministério da Cidadania, Marcelo Magalhães, o papel do gestor do esporte dentro do Governo Federal é trabalhar para garantir aos atletas as melhores condições para defender o Brasil nos grandes eventos mundiais. 

“O esporte de alto rendimento não envolve apenas treinamentos e competições. No caso dos atletas paralímpicos, principalmente, essa equação vai muito além disso. Com os cães-guia, nossos atletas com deficiência visual ganharão confiança para desempenhar suas funções. É uma forma de incentivá-los ainda mais”, ressalta.

Sobre o cadastro

O cadastro tem o objetivo de reunir atletas paralímpicos interessados em participar de um futuro processo de seleção para formação de duplas usuário e cão-guia. Os cães são resultado do trabalho realizado no Centro de Formação de Treinadores e Instrutores de Cães-guia, que tem sede no IFC Camboriú.

Para participar do cadastro, os candidatos devem realizar a inscrição on-line, por meio do formulário http://bit.ly/cadastroAtletas. O cadastro tem validade de 24 meses.

Requisitos:

– Ter 18 anos completos ou 16 anos (emancipado);

– Ser atleta paralímpico cego ou com baixa visão, que tenha participado de competição oficial das seguintes modalidades: atletismo, ciclismo, futebol de 5, goalbal, hipismo, judô, natação e remo. A competição oficial é realizada por entidade de administração do Desporto integrante do Sistema Nacional de Desporto;

– Ter condições físicas, psicológicas e financeiras para manter um cão-guia;

– Ter orientação e mobilidade: deve comprovar a autonomia e independência nos seus deslocamentos diários, de acordo com as regras estabelecidas em edital (não há necessidade de apresentar certificados ou cursos na área).

A inscrição no cadastro não garante o direito de receber um cão-guia. O edital de chamada pública para cadastro é uma forma de subsidiar futuros processos de seleção, que serão realizados pelo Centro.

De acordo com a coordenadora do Centro, Sany Justi Sardá, o candidato tem que estar ciente, no ato do cadastro, de que precisa ter a disponibilidade de participar do processo de formação de duplas (cão e usuário) presencial, que será ministrado em Camboriú/SC.

A proposta da chamada pública é reunir os interessados em um banco de dados e, posteriormente, abrir um segundo edital para selecionar os inscritos nesta chamada. “A nossa intenção é entregar quatro cães-guia até o final deste ano”, destaca a diretora Sirlei Albino.

Sobre a seleção

O processo de seleção é conduzido por uma Comissão Técnica Interdisciplinar do Centro de Formação de Treinadores e Instrutores de Cães-guia do IFC. Além da documentação completa exigida em edital, são observados também os seguintes critérios:

– Orientação e mobilidade: comprovar que possui autonomia e independência em seus deslocamentos diários;

– Perfil físico e comportamental: perfil compatível ao cão disponível, nos aspectos: físico (exemplos: peso, altura, equilíbrio e velocidade de caminhada) e comportamental (exemplos: temperamento, estilo de vida, rotina e trabalho/profissão);

– Condições financeiras de arcar com os custos de manutenção do cão-guia;

– Disponibilidade para permanecer hospedado no Centro de Formação de Treinadores e Instrutores de Cães-guia, localizado em Camboriú/SC, por um período de três semanas. A estadia é necessária para o processo de formação de dupla (cego e cão), momento em que serão avaliadas a compatibilidade entre o candidato e o cão-guia.

Mais informações, confira aqui o edital completo.

The post IFC abre chamada pública para atletas paralímpicos interessados em ter um cão-guia first appeared on Página 3.

Mais notícias dessa editoria

Advertisment

Leia também