Instituto Lixo Zero Brasil premiou ações de amor à natureza com o título ‘Atitude Cidadã 2021’

Relacionadas

Por Marlise Schneider Cezar e Renata Rutes

Lixo Zero é um conceito de vida. Através dele, cada um ou cada grupo, cada empresa, cada instituição, pode trabalhar o tema, refletindo sobre o futuro do planeta e como pequenas ações, atitudes, podem somar para melhorar o ambiente por inteiro. Quem quiser iniciar, basta seguir os 4R´s do conceito Lixo Zero:

REPENSAR: Acabar com a ideia que resíduos são sujos. Não descartar no lixo comum ou misturar materiais que poderiam ser reciclados.
REUTILIZAR: Diversos objetos e materiais podem ser utilizados de outra maneira antes de serem encaminhados para a reciclagem. Ex.: usar uma folha de papel dos dois lados.
REDUZIR: Gerar o mínimo possível de lixo. Ao invés de lixeiras, residuários e contentores para acomodar os materiais.
RECICLAR: Aproveitar a matéria prima do resíduo para fabricar o mesmo ou outro tipo de produto, sem encaminhá-lo para aterros.

Reconhecendo e valorizando quem já está fazendo…

O Instituto Lixo Zero Brasil realizou em março, em 20 estados brasileiros e 64 cidades, a entrega do título ‘Atitude Cidadã 2021’ a mais de 600 cidadãos e instituições. 

O objetivo desta iniciativa, inédita em nível nacional, é reconhecer iniciativas que tornam realidade o conceito Lixo Zero em cada cidade, sejam elas individuais ou coletivas, através de eventos, institutos, movimentos ou organizações. O título quer mostrar o engajamento e comprometimento com a causa, abrangendo toda a transversalidade do conceito lixo zero. Ao mesmo tempo quer motivar novos seguidores.

Cada cidade realizou a divulgação e entrega dos títulos de acordo com as condições de segurança e realidade de cada local. A maioria dos eventos aconteceram online ou presencial apenas com os indicados ao título.

…ações sustentáveis que só fazem bem para todos

Em Balneário Camboriú, Camboriú e Itajaí, o Coletivo Lixo Zero BC que representa o ILZB na região, através de suas embaixadoras Luciana Andrea de Jesus e Livia Garcia, indicou 11 cidadãos e instituições para receber  o título Atitude Cidadã 2021. 

Por medidas de segurança com a situação atual, os 11 selecionados receberam pessoalmente em seus endereços ou locais de atuação e foram divulgados nas páginas do @BCLixoZero e @institutolixozerobrasil no Instagram. 

“Neste momento, em que estamos vivenciando uma pandemia, isolamento social, nada melhor que valorizar as pessoas que fazem a sua parte todos os dias.Valorizar aqueles que doam seu tempo e atenção com o outro, com o futuro e com as ações que afetam sua casa, o condomínio do prédio, sua rua, a cidade… Pessoas que estimulam comportamentos sustentáveis que terão/têm consequências positivas para a sociedade”, disse Luciana Andréa.

Confira os indicados e um pouquinho das suas boas práticas colhidas pelo Coletivo Lixo Zero BC:

1- Antonio Carlos Pereira e Lilya Potel (BC)
2- Cristina Vasselai (BC) 
3- Projeto CESFI – UDESC (BC)
4- Huna Vida Plena (BC)
5- Restaurante Das Antiga Taquaras (BC)
6- Instituto Eco Cidadão (BC)
7- Espaço Rural Panaceia (Camboriú) 
8– 29 Kombucha (Itajaí)
9- Ong Solidariedade e Amor (BC)
10- Luísa Prado Garcia (BC)
11– 2º Ofício de Registro de Imóveis (BC)

Um pouco da história de cada um

1 – Antonio Carlos e Lilya

(Divulgação)

Tudo começou há quatro anos, após uma caminhada por recomendação médica… Inconformados com tanto lixo que encontravam na praia, todas as manhãs, durante suas caminhadas, o casal Antonio Carlos Pereira e Lilya Potel passou a recolher e separar todo lixo que encontrava pelo caminho. Não foi só isso, encontraram também muitos animais abandonados e que hoje, ajudam a cuidar e alimentam todas as manhãs, como os cães comunitários de Taquaras que acompanham o casal todas as manhãs. Eles até ajudam a  encontrar objetos perdidos, desenterrando da areia brinquedos esquecidos e celulares por exemplo… as tampinhas coletadas são encaminhadas para a causa  animal, junto com outras campanhas que o casal promove. Os brinquedos são destinados a uma creche em Navegantes e o restante é destinado à seletiva, residuários na praia ou entregues a artistas locais.

Durante esses quatro anos, diariamente, faça chuva ou faça sol, Lilya e Carlos promovem um ato de amor ao planeta, aos animais e nos inspiram como pessoa, mostrando que não precisamos de muito para fazer a diferença. Toda ação por menor que possa parecer, importa e gera impacto. No mês que comemoram 44 anos de casados e 4 anos de ações que nos impressionam, eles receberam o certificado Atitude Cidadã 2021, um reconhecimento do Instituto Lixo Zero Brasil pela iniciativa que tanto nos inspira. Parabéns ao casal e que possam seguir por muito tempo inspirando mais e mais pelo caminho.

(Divulgação)

Lylia Potel, moradora de Balneário Camboriú

“Eu, na verdade, me surpreendi com esse prêmio. Desde menina aprendi e acho natural tirar do caminho descartes. Foi assim que também eduquei minhas filhas. A Luciana [coordenadora do Instituto Ecocidadão] acabou fazendo um ‘resumo’ bem fiel da nossa história. Eu e meu marido, devido a recomendação médica, resolvemos caminhar e escolhemos a Praia de Taquaras, nunca imaginando tanto desleixo. Jamais pensamos em encontrar lixos e bichos. Já faz mais de quatros anos que diariamente recolhemos, aí resolvi colocar fotos no Instagram (mais por ficar como uma pasta). Nunca imaginei que fosse ser vista, não tem uma foto nossa, nem marco o lugar pois acredito que o importante é constatar que independe do local. Mesmo assim já fomos ameaçados, pois tem pessoas que se incomodam que a gente mostre como a “Dubai” realmente está. Acabamos destinando os cacos (glass) para uma artista que também transforma em belos trabalhos, os brinquedos a gente doa e vão para uma creche, as tampas plásticas (inúmeras, no sábado (10) tinham 139) e lacres vão para castração [de animais, há campanhas que financiam a causa através da doação dos recicláveis]. Enfim, tentamos fazer do limão uma limonada. Já são mais de 10 mil fotos que retratam os fatos. Sou contra uma data tipo Dia do Meio Ambiente, Dia da Consciência, todo dia é dia e se (sempre o se, né?) não fizermos algo, caminhamos para o caos, pois tem o lixo perdido e o lixo desprezado (preservativos, latas, canudos, máscaras e até garrafas cheias de areia). Os ECÃOlogistas, que são os CÃOpanheiros que nos acompanham diariamente, já nos mostraram celulares, fraldas com cocô nas pedras e dá vontade de pedir desculpa, já que eles não fumam, não bebem, não usam NADA do que nos deparamos e são hostilizados por estarem na praia. Ficamos estarrecidos em constatar que é o descaso que prevalece. Tem lixeira pertinho (muitas)”.

2 – Cristina Vasselai

Como pedacinhos de vidro ‘Sea Glass’ encontrados na areia da praia se tornaram uma fonte de inspiração para Cristina Vasselai, que se tornou moradora de Balneário Camboriú em 2014. 

Com formação em Administração e MBA em Marketing, a também designer gráfica começou sua jornada autodidata pelo mundo das artes desde que se mudou para o litoral. 

Sea Glass também foi o nome da primeira exposição em novembro de 2016 em Blumenau, levando para fora de Balneário Camboriú o conhecimento desse material e das possibilidades de transformar este ‘lixo’ em arte.

Em 2017 participou pela primeira vez da Semana Lixo Zero com oficinas nas escolas, ensinando alunos, pais e professores a trabalhar com esse material e mostrar que esse pode ser um novo ganha pão, uma profissão ou até mesmo uma terapia.

2018, novamente a Semana Lixo Zero com mais oficinas, exposições e a participação da Transmutare, uma coletânea de artistas de Balneário Camboriú que nasceu em um evento e um propósito de mostrar as questões ambientais, reuso e reciclagem e este criou vida própria e asas, passou por Balneário Piçarras, Itajaí e Bombinhas e Florianópolis.

(Divulgação)

Nesse mesmo ano nasceu o Projeto Placas para o Mundo, junto ao CEI do Taquaras, para trabalhar empreendedorismo social e a preocupação com o meio ambiente. Projeto este que foi reconhecido pela Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú, premiado em 2019 como quinto colocado em SC. Em 2019 o projeto das placas cria asas e vai para Blumenau, com um projeto solo, chamado Placas para o Bem, fazendo oficinas em escolas voltadas ao trabalho de sustentabilidade e ecologia.

Com a pandemia, todas as oficinas foram obrigadas a dar uma pausa. Junto com todas as dificuldades vieram outras necessidades e porque não ajudar a economia local em tempos tão difíceis onde muitos dependem de uma segunda opção renda para ajudar a manter as despesas da casa e da família. Foi assim que, junto com outras amigas, criamos o Classificados de Taquaras. Um projeto que faz além da divulgação de produtos e serviços, divulgações de utilidade pública, vagas de empregos, doações e campanhas direcionadas aos moradores do bairro e das proximidades.

Cristina Vasselai, artista e moradora de Balneário

(Divulgação)

“Conquistar esse título é um grande orgulho, principalmente pelo reconhecimento de que pequena ação, mesmo em tempos de pandemia, pode ajudar muitas pessoas e o meio ambiente ao seu redor. Podemos ser inspiração para outras pessoas, que muitas vezes não acreditam no seu potencial ou duvidam de si mesmos.  Deixar para traz aquele “isso não vai resolver nada”, “para que se incomodar com isso, você não vai ganhar nada”. Podemos até não ter retorno financeiro, mas as amizades e a “rede de pessoas do bem” que criamos não tem dinheiro que pague. Para esse ano continuamos com os projetos que já temos e vou continuar com ações voltadas para o meio ambiente no nosso entorno. Infelizmente e devido a pandemia, as oficinas vão ficar para quando as coisas voltarem ao normal”.

3 – CESFI- UDESC

(Divulgação)

O Projeto CESFI Sustentável foi criado em 2017, na UDESC de Balneário Camboriú, com o objetivo de desenvolver ações de educação ambiental e mudança de hábitos em prol da gestão sustentável no espaço universitário. Ele é coordenado pelo professsor Alexandre Magno de Paula Dias, com participação das professoras Vivian de Mello Cionek, Yuzi Anai Zanardo Rosenfeldt e Vanessa Marie Salm. 

A UDESC possui um programa institucional – Udesc Lixo Zero, à época, coordenado pelo técnico Gustavo Kogure. 

A partir da iniciativa criada por esse projeto institucional, deram um passo maior, e através do Projeto Cesfi Sustentável, criaram e implementaram, em agosto de 2018, o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos do CESFI. Com auxílio dos alunos de Engenharia de Petróleo, da Petro Jr Empresa Junior de Engenharia de Petróleo, do Centro Acadêmico de Engenharia de Petróleo, da professora Débora Brandt e da bibliotecária Letícia Lazzari. 

A composteira do CESFI foi construída na área dos fundos da UDESC, para onde são destinados os resíduos orgânicos do campus. Os resíduos recicláveis são recolhidos pela coleta seletiva, e apenas o rejeito é encaminhado ao aterro. Por isso o Projeto CESFI Sustentável é um dos ganhadores do Prêmio Atitude Cidadã 2021. Esperamos que mais instituições de ensino se inspirem nesta iniciativa!

Vivian de Mello Cionek, membro do projeto CESFI Sustentável

(Divulgação)

“O Projeto CESFI Sustentável, da UDESC Balneário Camboriú, foi concebido com intuito de internalizar a responsabilidade pelo cuidado e gestão do meio ambiente. Nele nós tratamos da Gestão dos Resíduos Sólidos, do conhecimento sobre o funcionamento dos ecossistemas, e de formas de ensinar e disseminar esses conhecimentos para a comunidade acadêmica e sociedade. Dessa forma favorecemos os processos de aprendizagem e conscientização sobre a importância da redução da produção de resíduos e de sua adequada destinação, de maneira integrada ao equilíbrio dos ecossistemas, pautada em sólido conhecimento técnico-científico.

Receber o reconhecimento de nossas ações nos compele a continuar e servir como exemplo de cuidado e respeito ao meio ambiente, e por isso, agradecemos às Embaixadoras Lixo Zero de BC, pela indicação e consideração.

É muito importante destacar que as nossas ações são pensadas e implementadas com ajuda de toda a comunidade acadêmica – alunos, servidores, docentes e diretores, que se sensibilizam e assumem responsabilidade para melhorar a gestão ambiental do nosso espaço. Contribuem também para que possamos disseminar esse conhecimento em atividades de educação ambiental para a comunidade escolar.

A mudança dos hábitos em prol da redução da produção de resíduos e de sua adequada separação são conquistas já alcançadas, e ao longo dos próximos anos seguiremos com a disseminação desse aprendizado em atividades de ensino e extensão”.

4 – Huna Vida Plena

A @hunavidaplena tem como propósito a sustentabilidade e a alimentação saudável! A iniciativa presa pela logística reversa das embalagens das alimentações diárias. Não utiliza plástico, nem isopor para entrega de alimentos frescos para alimentação, optando por uma opção de caixinhas produzidas no Brasil com matéria prima reciclada. Os produtos são adquiridos da agricultura familiar e a empresa leva muito em consideração a preservação dos recursos naturais, cuidando de toda a cadeia produtiva, desde a colheita até a mesa do consumidor. Faz a compostagem de seus resíduos orgânicos e sempre participa de eventos socioambientais! É um exemplo que temos orgulho de espalhar para os quatro cantos!

Karine Bastos dos Santos, a Kaká, é uma das responsáveis pela Huna Vida Plena, junto com Anna Paula da Rocha Amaral e o entregador delas, Cassiano May

(Divulgação)

“Ficamos bem surpresos com a conquista do título e ao mesmo tempo muito felizes e ainda mais conectados com o nosso propósito. Desde que nós iniciamos a Huna o nosso propósito sempre foi o cuidado com o meio ambiente, prezando por alimentos orgânicos da safra da agricultura familiar e local, e de entregar essa comida para o cliente e que não gerasse um resíduo pós-consumo. A gente viu essa alternativa através dos potes de vidro, com a logística reversa. É um trabalho bem maior, mas que vale muito a pena pela questão ambiental. Por mês a gente poupa mais de mil embalagens plásticas ou de isopor, que iriam para a natureza, para uma coleta que a gente não tem certeza da reciclagem. As nossas caixinhas também são sustentáveis, são de material reciclável e não tem chumbo. Vemos, com o prêmio, que estamos no caminho certo, porque a gente não consegue cuidar da nossa saúde se a gente não cuida da saúde do planeta, elas estão interligadas, tem tudo a ver. O título nos trouxe ainda mais responsabilidade com o movimento Lixo Zero, nesse ano queremos divulgar cada vez mais toda essa modalidade. Já cuidamos disso e agora vamos focar ainda mais. Esperamos que esse ano, com o movimento Lixo Zero, consigamos participar cada vez mais da compostagem dos resíduos de nossa cozinha, deixando isso cada vez mais efetivo para os clientes, para que eles vejam que é uma rede e que eles participam do todo, que inicia ainda na compra de nossos produtos. Queremos participar de alguns cursos e oficinas de aproveitamento de resíduos também, com aproveitamento integral dos alimentos – que é algo que nos motiva muito e que vai ser bastante divulgado em nossas redes sociais. Estamos finalizando um e-book também, onde tratamos de todos esses assuntos”.

5 – Das Antiga Taquaras

(Divulgação)

Há seis anos o Das Antiga restaurante encaminha toda sua produção de resíduos orgânicos para compostagem, reduzindo significativamente o descarte em aterro e  transformando, o que na grande maioria dos restaurantes vai pro lixo, em adubo orgânico, gerando trabalho e renda. Apoiador e participante de diversas ações de sustentabilidade na Semana Lixo Zero BC, o Das Taquaras  ainda promove ações de limpeza e conscientização ambiental em todo seu entorno e região das praias agrestes de BC. Em 2019 implantou no seu espaço a ‘rota da reciclagem’ possibilitando aos  seus clientes e visitantes, conhecer a destinação dos resíduos gerados no restaurante e orientação sobre reciclagem, compostagem, minhocário, logística reversa, etc, promovendo também um espaço educativo para preservação ambiental. 

Por tantas ações de responsabilidade socio ambiental que nos inspiram é que o Das Antiga Restaurante, é merecedor do título Atitude Cidadã 2021. Parabéns e gratidão por proporcionar a sua comunidade tantos atos de amor, cuidado e proteção com o meio ambiente.

Kiussy Garcia, sócia proprietária do Das Antiga Taquaras

(Divulgação)

“Estamos muito orgulhosos de receber o prêmio Atitude Cidadã 2021, é o reconhecimento de um trabalho que estamos fazendo há seis anos. Todas as boas práticas e ações somam no mérito do recebimento do prêmio. A busca por ser sustentável ou contribuir de alguma maneira com o meio ambiente precisa ser constante para não nos acomodarmos. Esse ano finalizamos nosso espaço da rota da reciclagem ampliando nossa hortinha, mas a pesquisa e ideias para diminuição de produção de lixo são permanentes”.

6 – Eco cidadão

(Divulgação)

Instituto que atua em BC e região desde 2013, responsável por mais de 300 ações e projetos de educação ambiental e gestão de resíduos.  Protagonista da organização da SLZBC por cinco anos consecutivos. 

Suas ações de 2020 foram a distribuição de cartilhas sobre Covid-19 e os cuidados com os resíduos; Distribuição de mais de 1200 litros de sabão ecológico, feito com a reciclagem de óleo de cozinha usado, para catadores e ONGs da região,  compondo um dos itens de higiene nas cestas básicas, durante a pandemia; Projeto de compostagem  comunitária em dois pontos  de Taquaras (horta do Nico e  Pinhonat); Projeto piloto de compostagem de coco de cachorros para ONG Viva Bicho.

Luciana Andréa, coordenadora do Eco Cidadão

(Divulgação)

“O reconhecimento do Instituto Lixo Zero é bastante importante porque desde 2013 nós atuamos em Balneário Camboriú e região e desde 2014 realizamos a Semana Lixo Zero. Não temos nada programado para esse ano por conta da pandemia, não conseguimos nos reunir. Os eventos online deixamos para eventos do Instituto, porque o Eco Cidadão sempre foi mais na prática, atuando in loco. Não pensamos em nenhuma ação específica para 2021, a falta de recursos também dificulta um pouco. Provavelmente faremos ações nesse primeiro semestre, mas ainda não temos nada definido – exatamente o que e quando. Sempre entoamos pelo coletivo, defendendo a sustentabilidade, mostrando as possibilidades, alternativas para os resíduos, todas as nossas ações e campanhas sempre foram com ênfase nos resíduos, e agora com a pandemia e sem sede própria ficou mais difícil de trabalhar. Sempre atuamos com as escolas e elas estiveram fechadas, assim como os encontros presenciais junto da comunidade, por isso ficou um pouco difícil de trabalharmos”.

7 – Espaço Rural Panaceia

(Divulgação)

Com a missão de gerenciar recursos usando o envolvimento com a arte e conexão com a natureza para inspirar outros espaços e transformar pessoas para beneficiarem os ecossistemas de forma integral e regenerativa, o Espaço Rural Panaceia é construído e formado por uma união de diversos propósitos.

O espaço mantém e gerencia iniciativas de educação e sensibilização ambiental, gerenciamento de lixo zero e compostagem de resíduos orgânicos. Também executa serviços em bioconstrução, agrofloresta, tratamento ecológico de esgoto doméstico, iniciativas artísticas e circenses, ecoturismo, oficinas e eventos voltados ao autoconhecimento, autonomia e alimentação natural. 

O Espaço Panaceia criou a coleta consciente para empresas e condomínios, onde os resíduos orgânicos são coletados e encaminhados para compostagem, transformando em adubo “composto orgânico” mais de 15 toneladas de resíduos que teriam como destino os aterros.

(Divulgação)

Fabio Vaccaro de Carvalho (conhecido como Fabinho) é Engenheiro Ambiental e idealizador do Espaço Panaceia

“Ficamos muito felizes em receber esse prêmio. O Espaço Rural Panaceia é pioneiro, desde 2015, atuando na região, desviando o resíduo orgânico dos aterros. A gente tem feito essa parte de ‘fechar os ciclos’, coletando o resíduo orgânico, transformando em compostagem e da compostagem produzindo alimentos. É um prêmio nacional, realmente ficamos muito contentes. Para 2021, queremos ampliar a coleta para as pessoas físicas, hoje trabalhamos com grandes geradores, como supermercados, restaurantes, e a intenção agora é trabalhar com os condomínios e com as pessoas que têm interesse em fazer a destinação adequada desses resíduos sólidos. Além disso a gente tem feito um trabalho também junto ao Comitê de Resíduos Sólidos de Balneário Camboriú e Camboriú, que é um local onde a gente vem debatendo as políticas públicas. Sou coordenador desse eixo, e a gente tem outros dois eixos, sobre educação e reuso e reciclagem e compostagem, então estamos avaliando as políticas públicas de nossas cidades. Em 2020 também tive a oportunidade de fazer a capacitação da Juventude Lixo Zero e a gente desenvolveu um projeto junto com o coletivo, de hortas urbanas e compostagem urbana. A intenção agora é a gente formalizar esse grupo da Juventude Lixo Zero e poder potencializar esse nosso projeto e as ideias que a gente vêm debatendo e acumulando nos últimos anos, para que cada cidadão possa ter a oportunidade de transformar o seu resíduo orgânico em matéria prima e assim a gente conseguir fomentar e incentivar a produção de hortaliças, de temperos, linkando com uma vida mais saudável e sustentável.”

8 – Kombucha 29

(Divulgação)

Um dos principais propósitos quando a 29 Kombucha foi idealizada foi o compromisso com a sustentabilidade, uma das coisas que mais prezamos é ter atitudes que impactem o menos possível o meio ambiente.

Em busca do impacto positivo criamos várias estratégias na empresa, desde palestras para conscientização, como incentivo a reciclagem e reutilização.

Algumas das medidas adotadas na empresa que fazem grande diferença são: o retorno das garrafas  para reutilização na produção que hoje somam mais de 40% de reutilização, a destinação das tampas para projetos ecológicos onde são transformadas em brinquedos didáticos, a destinação do resíduo do rótulo para o projeto Robôs Adoráveis para serem transformados em embalagens e envelopes.

Uma das campanhas que fizemos e nos enche de orgulho é a Seja Eco do Seu Jeito, onde falamos sobre a importância de você mudar as atitudes não de forma perfeita, mas ir mudando, e aos poucos ver que não é impossível realizar grandes mudanças, mas o importante é começar a fazer essas mudanças.

A 29 Kombucha busca todos os dias se tornar uma empresa melhor e mais consciente e esperamos que possamos mostrar aos nossos clientes o amor e dedicação com que trabalhamos.

Pâmela Medeiros Gomes é a proprietária da 29Kombucha, junto de seu marido, André Augusto Pinheiro

(Divulgação)

“Ficamos muito felizes e orgulhosos em receber o prêmio. Não esperávamos, é a primeira vez que estamos recebendo. Sempre achamos que não fazemos o suficiente, por mais que todos os dias sempre busquemos ampliar nossas ações Lixo Zero esse é o reconhecimento de que realmente estamos no caminho certo. Desenvolvemos projetos mesmo com a pandemia, como o em parceria com o Robôs Adoráveis, onde eles recolhem a rotulagem de nossas kombuchás e transformam em envelopes e papel de presente. Também demos palestras online com uma interação muito bacana com o público, já que por conta de as pessoas estarem mais em casa se interessaram mais em saber como poderiam reduzir seu lixo. Sempre damos as dicas de fazer ao invés de comprar, comprar coisas a granel… assim você utiliza menos lixo. Para esse ano queremos dar continuidade ao projeto Seja Eco do Seu Jeito, que lançamos em 2020. Incentivamos que as pessoas sejam ecológicas do jeito delas. Muitos pensam que para ser sustentável é preciso ser perfeito e não é sobre isso, o mais difícil é lembrar de ser sustentável. Há pequenas ações que fazem a diferença, como reciclar o rolo do papel higiênico, trocar a escova de dente normal por uma de bambu, eliminar o plástico das compras (usando ecobags, potes ou caixas de papelão se não possuir ecobag). Com a empresa Ecofest desenvolvemos brinquedos com tampinhas das kombuchás, e esse ano queremos desenvolver mais, para doar para escolas da região. Também planejamos repassar para os clientes que quiserem o nosso biofertilizante natural, que vem de nossa composteira [através do chorume]. A sustentabilidade é sobre ser útil para você. Também incentivamos os nossos clientes, como restaurantes, lojas e mercados, a se tornarem mais sustentáveis. Um deles, o Nuts Receitas Caseiras, mudou as embalagens de plástico por biodegradáveis. São ações que parecem simples, mas que fazem muita diferença! É possível mudar, reduzir a quantidade de plástico, repensar.”

9 – ONG Solidariedade e Amor

(Divulgação)

O grupo solidariedade e amor surgiu há 6 anos em Balneário Camboriú com o propósito de ajudar quem precisa. Sua idealizadora, Juliana Ferreira de Deus, sentiu a necessidade de fazer mais pelo próximo e começou a juntar amigos conhecidos que quisessem abraçar a causa. Hoje o grupo conta com diversos voluntários e recebe ajuda de muitas pessoas da região. Sua atitude cidadã é imensa! O grupo ajuda em média 100 famílias por mês, distribuí alimentos e cestas básicas, medicamentos e roupas para centenas de pessoas, leva um pouco de conforto para moradores de rua por meio da entrega de marmitas e quitutes, realiza muitas ações em prol de crianças com necessidades especiais e também bazares, nos quais circulam mais de 2 mil peças de roupas por mês. Não tem roupa mais sustentável do que aquela que já existe! E por isso o grupo estimula um consumo consciente e destina todo dinheiro arrecadado aos projetos sociais. Como o nome já diz, solidariedade e amor são os pilares principais! E tudo que o grupo faz é um grande exemplo para a sociedade!

(Divulgação)

Juliana Ferreira de Deus, integrante do Solidariedade e Amor – que hoje conta com a participação de 60 voluntários

“Foi uma grata surpresa receber o título, é muito bom estarmos sendo reconhecidos. A gente já faz um trabalho há algum tempo com o movimento Lixo Zero, sempre participávamos das feiras deles, porque realmente fazemos parte disso: pegamos roupas, que poderiam ir para o lixo, e transformamos. Ajudamos pessoas, revertemos o dinheiro em alimentos. Sempre fomos dessa pegada sustentável. Fizemos uma festa na Casa X para 80 crianças totalmente Lixo Zero, não teve copinhos, não teve pratinhos. Os pratos eram de folha de bananeira, os copinhos eram de plástico – aqueles que podíamos lavar e reutilizar depois. As forminhas dos doces também eram de folha de bananeira. Foi uma experiência muito legal. Vamos seguir ajudando os seres humanos, mas também temos que pensar e ajudar o planeta. O máximo que conseguimos preservar o planeta vamos seguir focando, e tentando incentivar que as pessoas também façam isso”.

10 – Luísa Prado Garcia 

Amante da natureza e fotógrafa de aves, Luísa sempre foi atenta ao meio ambiente e tudo que é possível fazer para protegê-lo. Em 2019 começou a buscar diariamente o orgânico da merenda escolar do Centro Educacional Municipal Taquaras. Luísa busca, pesa, anota o peso e composta todos os resíduos orgânicos da escola. Parte é destinada para o minhocário e outra parte para a compostagem pelo método Láges que faz em seu terreno. Os adubos e os biofertilizantes gerados são utilizados para o plantio de plantas que atraem aves, auxiliando também na disseminação de sementes e na continuação do ciclo do alimento. Em média, são 6 kg de resíduos orgânicos por dia desviados do aterro sanitário, o que gera um grande impacto positivo! Além de sua ação no Composta Escola, Luísa sempre participa de ações socioambientais, sendo sempre ativa na proteção ambiental e no impacto social da sociedade.

Luísa Maria Oliveira Garcia Prado, moradora de Balneário Camboriú e fotógrafa

“Fiquei muito honrada e ao mesmo tempo surpresa em receber este prêmio. Surpresa, pois, minhas atividades junto ao meio ambiente não são tão grandiosas como de tantos outros premiados. E honrada, pois, é meu primeiro reconhecimento oficial. Meu olhar para o meio ambiente vem do exemplo de meus pais e lá de Minas Gerais, cidade de Inconfidentes, onde na minha infância o total de resíduos era recolhido em uma carroça puxada por animais. Minha mãe não gostava de desperdício de água tratada. Quando chovia corria para encher baldes, galões para depois reutilizar quando fosse aguar as plantas. A água de sabão de uma roupa mais limpa ia passando de bacia em bacia até chegar aos panos de chão. Já meu pai sempre cuidou de sítio e nunca presenciei um plástico sequer jogado nas terras. Em abril de 2001 vim para SC trabalhar na agência do BB na cidade de Indaial. Fiquei encantada com o projeto de coleta seletiva que encontrei naquela cidade tão limpinha e cuidada. Em setembro de 2006 recebi o certificado de MBA Executivo em negócios Financeiros pela FGV e aí minha jornada de defesa do meio ambiente se inicia. Dentre tantas disciplinas, havia a disciplina de “Responsabilidade Socioambiental”, na qual pude conhecer a história da preocupação ambiental e também empresas que faziam a diferença por adotarem práticas exemplares. De lá pra cá não parei mais… Gosto de observar e fotografar aves e ao andar pelas matas ciliares percebi o quanto nossos rios eram fadados a virar esgoto a céu aberto. Comecei a participar de atividades como limpeza de rios, plantio de árvores para recompor as matas ciliares.

Mas o prêmio aconteceu pelo trabalho que realizo junto ao Centro Educacional Municipal Taquaras. Sabemos que todo resíduo vai para o aterro sanitário e sai do bolso do cidadão o pagamento. Moro no bairro Praias de Taquaras, tenho um grande quintal e minha casa fica próxima à escola. O CEM Taquaras produzia, antes da pandemia, uma média de 6 kg de resíduos da merenda escolar. Com o apoio das merendeiras que lá atuam e com o aval da administração da Escola pude fazer este trabalho. Diariamente eu buscava em um balde de óleo usado nos restaurantes de Taquaras, generosamente cedido pelos proprietários. Com eles fiz composteiras com minhocas californianas. O resíduo como pó de café, ovos, casca de legumes e frutas é colocado para elas que em troca nos dão biofertilizantes e humus. Quanto aos resíduos cítricos, eu os coloco na terra e cubro com palha seca, utilizando os conceitos da agricultura sintrópica 1. Os trabalhos estão sendo retomados após um ano de suspensão das aulas por causa da Pandemia que assola o planeta neste momento. A produção de resíduos diminuiu, pois metade dos alunos vão à escola e outra metade não. Mesmo com a pandemia segui fazendo composteiras e distribuindo um pouco de conhecimento. Quando tudo voltar ao normal a ideia é ministrar aulas para as crianças como fizemos com sucesso na creche local. Agradeço ao ILZ e a todos que direta ou indiretamente contribuem: Os proprietários da casa onde moro o Sr. Arlindo e D. Vera, fornecedores de orgânicos para a Escola, merendeiras, restaurantes, etc.”

11 – 2º Ofício de Registro de Imóveis de BC 

(Divulgação)

Ação ambiental de limpeza das praias da cidade, realizada anualmente pelos colaboradores da serventia em parceria com o Curso de Direito da Universidade do Vale do Itajaí (Univali) (Campi BC), onde é feita a coleta do lixo, separação/triagem do lixo coletado e destinação para cooperativas de reciclagem. Esta ação, além de cuidar do meio ambiente, também auxilia acadêmicos da Univali, que possuem Bolsa de Estudo do artigo 170 da Constituição Estadual a cumprirem o requisito de 10 horas de prestação de serviços à comunidade.

Programa de reciclagem de papéis, pilhas, baterias e lixo eletrônico, na serventia, com ampla divulgação nas redes sociais da serventia. Foram coletados  64 Lâmpadas Fluorescentes, 41,400kg Eletrônico, 227kg de papel, 2,60kg de Pilhas e 1,30kg de Tonner, todos destinados a empresa DDN Meio Ambiente Ltda.

Distribuição de mudas de árvores e frutíferas aos usuários do serviço registral, no mês de setembro, em comemoração ao Dia da Árvore. Distribuídas 70 mudas para a população. 

Sistema de senhas personalizado de atendimento presencial ao usuário sem emissão de papel, através de chamada de áudio.

Recolhimento de tampinhas pet, com destinação a ONG Pet Friends, que são revertidas para ajudar animais em risco. De maio de 2020 até agora 41.177kgs

Recolhimento de embalagens de remédios, com um total de 9,26kgs de 2020 até agora.

Quadro de avisos eletrônico que evita o uso de papéis.  

Utilização de papel de bagaço de cana ecologicamente correto. 

Enfim, todo um trabalho diário de conscientização ambiental dentro da própria serventia, entre os colaboradores, como por exemplo: não usamos sacos plásticos nos lixeiros internos, economia de papel, água e energia, uso de rascunhos, sacolas ecológicas, separação do lixo orgânico e reciclável, pois acreditamos que pequenas atitudes geram grandes mudanças.

(Divulgação)

Lúcia Dal Pont, Registradora Titular do 2º Ofício de Registro de Imóveis de Balneário

A conquista desse título foi uma grande surpresa para todos nós do 2º Registro de Imóveis de Balneário Camboriú, mas também foi uma grande emoção e satisfação, poder fazer parte desse time de pessoas incríveis, que é o movimento Lixo Zero, um movimento lindo, de amor ao próximo e respeito ao meio ambiente, que acredita, assim como nós, que são nas pequenas atitudes que podemos fazer grandes diferenças. Os planos para 2021, dentre outros é retomarmos, assim que possível, as atividades externas e em grupos, como Limpeza da Praia, suspensas em razão da pandemia, ampliar cada vez mais os projetos voltados ao meio ambiente, bem como, conseguir alcançar mais pessoas e parcerias que se envolvam e contribuam com o objetivo do movimento Lixo Zero. Estas são algumas atitudes que adotamos e que seguiremos adotando: ação ambiental de limpeza das praias da cidade, realizada anualmente pelos colaboradores da serventia em parceria com o Curso de Direito da Univali (Campi BC), onde é feita a coleta do lixo, separação/ triagem do lixo coletado e destinação para cooperativas de reciclagem – essa ação, além de cuidar do meio ambiente, também auxilia acadêmicos da Univali, que possuem Bolsa de Estudo do artigo 170 da Constituição Estadual a cumprirem o requisito de 10 horas de prestação de serviços à comunidade; programa de reciclagem de papéis, pilhas, baterias e lixo eletrônico, na serventia, com ampla divulgação nas redes sociais da serventia – foram coletados 64 Lâmpadas Fluorescentes, 41,400 kg Eletrônico, 227 kg de papel, 2,60 Kg de Pilhas e 1,30 Kg de Tonner, todos destinados a empresa DDN MEIO AMBIENTE LTDA (Registro com Fotos e certificado da empresa destinada); distribuição de mudas de árvores e frutíferas aos usuários do serviço registral, no mês de setembro, em comemoração ao Dia da Árvore; distribuídas 70 mudas para a população; sistema de senhas personalizado de atendimento presencial ao usuário sem emissão de papel, através de chamada de áudio; recolhimento de tampinhas pet, com destinação a ONG PetFriends, que são revertidas para ajudar animais em risco – de maio de 2020 até agora 41,177kgs; recolhimento de embalagens de remédios, com um total de 9,26kgs de 2020 até agora; quadro de avisos eletrônico que evita o uso de papéis; incentivo ao uso de nossos serviços de forma eletrônica (evita circulação de carros e gera economia de papel); doação de equipamentos de informática, fora de uso no 2° Registro de Imóveis, mas ainda em funcionamento para CPDI – Comissão para Democratização da Informática (duas CPUS, três monitores, um teclado, um mouse e vários cabos), no mês de março de 2021; utilização de papel de bagaço de cana ecologicamente correto.  Enfim, todo um trabalho diário de conscientização ambiental dentro da própria serventia, entre os colaboradores, como por exemplo: não usamos sacos plásticos nos lixeiros internos, economia de papel, água e energia, uso de rascunhos, sacolas ecológicas, copo reutilizável, separação do lixo orgânico e reciclável, pois acreditamos que pequenas atitudes geram grandes mudanças”.


The post Instituto Lixo Zero Brasil premiou ações de amor à natureza com o título ‘Atitude Cidadã 2021’ first appeared on Página 3.

Mais notícias dessa editoria

Advertisment

Leia também