Juliana Pavan cobra respostas sobre alimentação dos alunos da rede municipal no ensino à distância

Relacionadas

A vereadora Juliana Pavan usou a tribuna na sessão de terça-feira (23) para cobrar, novamente, respostas por parte da prefeitura quanto à alimentação dos alunos da rede municipal que estudam à distância, que não estaria sendo fornecida pela Secretaria de Educação. Juliana também é defensora do retorno do programa Leite, Amigo Pão (onde as crianças da rede municipal ganhavam semanalmente um pacote com até seis pães e até dois litros de leite), criado em 1998 por seu pai, o então prefeito Leonel Pavan. Ela protocolou o pedido da reativação em janeiro. 

Prefeitura demora para responder

A vereadora apontou a demora de respostas do Executivo, às vezes de 30 até 60 dias, e disse que não é ela que está solicitando as informações que pede ao governo municipal e sim a comunidade. 

“Precisamos falar de uma forma rápida aquilo que a comunidade quer ouvir, porque ninguém está aqui brincando, está todo mundo trabalhando de forma séria, e representando não apenas as pessoas que votaram na gente, mas uma cidade que merece respeito”, disse.

Quanto a questão da alimentação dos alunos, Juliana destacou a responsabilidade que o município tem de garantir a segurança alimentar e nutricional dos alunos da educação pública enquanto estão em aula, e que as famílias estão reclamando sobre o fato de que os alimentos da merenda, que deveriam ser distribuídos nas casas, não estão chegando até elas. 

“Está em vigor uma autorização que permite a distribuição dos alimentos adquiridos com recursos do PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar) a estudantes ou responsáveis durante o período das aulas remotas.  O FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) e o Ministério da Educação juntamente com o Governo Federal mantiveram essa possibilidade. Sendo assim, por que o governo de Balneário não o está fazendo”, questionou.

Pedido enviado, resposta com cardápio

Um pedido de informação contendo todas essas questões foi enviado à Secretaria de Educação em fevereiro, porém, até o momento a única resposta recebida a respeito foi o envio do cardápio dos alimentos servidos presencialmente nas escolas. “Estou me segurando há algumas sessões para falar sobre isso, mas fizemos o pedido no início de fevereiro. A resposta foi o envio do cardápio e isso [o cardápio] está no site da prefeitura. Se eu quisesse, teria entrado e pego, mas não responde as perguntas que enviamos. Quero saber sobre a alimentação dos alunos que estão em aula remota”, apontou.

Juliana também aproveitou para lembrar que está aguardando um retorno sobre seu pedido para reativação do programa Leite, Amigo Pão, protocolado em janeiro. 

“Entendo, tem que atualizar e modernizar. Na época (1998) combatia a evasão escolar e garantia a nutrição das crianças quando estavam no período da escola. Precisamos agir e sair do discurso. Esse projeto é mais um complemento para a alimentação de nossas crianças. Ainda há muitas questões que precisam de resposta”, acrescentou.

The post Juliana Pavan cobra respostas sobre alimentação dos alunos da rede municipal no ensino à distância first appeared on Página 3.

Mais notícias dessa editoria

Advertisment

Leia também