Negão e Sushi: os cães comunitários que vivem na Univali de Balneário Camboriú

Relacionadas

Na quarta-feira (23) Negão e Sushi, que vivem na Univali de Balneário Camboriú, foram oficializados como cães comunitários. Eles moram na universidade há alguns anos e são cuidados por vizinhas da instituição, que pedem que a comunidade ajude com ração e veterinário.

Tita conheceu Negão em 2017

Uma das vizinhas que cuida diretamente de Negão e Sushi é a atriz e professora Tita Nacle. Ela contou que quando se mudou para as proximidades da Univali percebeu que no local viviam muitos cães. Entre eles, Negão. 

“Isso há quase seis. Ele não chegava perto de mim porque era arisco, tinha medo. Ele foi encontrado atrás da biblioteca da Univali com afundamento no crânio, porque tinha apanhado e se escondeu na universidade. Eu só consegui me aproximar dele depois de um ano. Ele é muito bonzinho, mas é medroso, precisa confiar nas pessoas para deixar elas interagirem”, conta.

Sushi chegou em 2019

Dois anos depois foi feita uma campanha através da vizinhança e da Univali para que os cães que lá viviam fossem adotados, com exceção de Negão, que já estava acostumado a viver no local. 

Em novembro daquele ano, chegou na Univali o cão Sushi, que era um filhote e até então tinha donos. 

“Estava muito magro. Ele ia e voltava, depois descobri que ele tinha dono, mas não era alimentado. Ele sabia que às 16h o Negão comia e aí aparecia na Univali, foi assim até estourar o Covid, em 2020. Aí ele ficou de vez porque não via mais ninguém na rua. Eu entrei em contato com a gerência da Univali, pedi passe livre para cuidar dos dois e continuei indo todos os dias, mesmo com medo do Covid”, salienta.

Univali cedeu espaço para os cães

Tita comenta que é ela, sua filha Eduarda, e mais duas amigas que cuidam dos dois, além de um vigilante, conhecido como José, que atua na empresa Orsegups. 

“A Univali deu um espaço debaixo do toldo, onde ficam as motos, e lá colocamos duas casinhas, pois queríamos um lugar com visibilidade. Somos nós [ela, Eduarda e as amigas] que arcamos com os custos de ração e veterinário para os dois. A ONG Viva Bicho também nos auxilia, mas seria muito bacana se a comunidade também ajudasse”, diz, citando que vai na Univali todos os dias, faça chuva ou faça sol, para cuidar dos cãezinhos. 

“Sou aposentada e assumi esse ‘cargo’ (risos), mas faço com amor. Eles me salvaram e agora eu luto para salvar eles. Os dois recebem todos os dias ração e arroz com carne. A água é trocada todos os dias, limpamos os potes e cobertores, os higienizamos”, acrescenta.

Sushi pode ser adotado

Tanto Negão quanto Sushi são castrados, vacinados e microchipados. Tita acredita que Negão já é idoso e deve ter entre 13 e 14 anos, já Sushi tem cerca de cinco anos. 

“Eles foram oficializados como cães comunitários. Jamais atacariam alguém, são dóceis e andam por toda a Univali. Todos os alunos e funcionários brincam com eles. O Negão já se acostumou e a Univali é a casa dele, não podemos tirar ele de lá, mas o Sushi pode. Eu acho que ele sonha em ter uma casa”, pontua.

Tita aproveita para agradecer a Univali, em nome da reitoria e direção, e ainda a ONG Viva Bicho e a prefeitura de Balneário Camboriú. 

“Eles [os cães] estão amparados pela lei, são cães comunitários. Também recebemos apoio da Secretaria do Meio Ambiente e Polícia Ambiental, todos engajados”, acrescenta.

Para acompanhar o dia a dia de Negão e Sushi, acesse o Instagram @negao_e_sushi_companheiros. Quem quiser ajudar Tita a cuidar dos dois, pode enviar PIX para 47997010555.

The post Negão e Sushi: os cães comunitários que vivem na Univali de Balneário Camboriú first appeared on Página 3 – Notícias de Balneário Camboriú.

Mais notícias dessa editoria

Advertisment

Leia também