Pais de alunos de escolas de Balneário Camboriú realizam manifestação domingo pela volta às aulas

Pais de alunos de escolas de Balneário Camboriú realizam manifestação domingo pela volta às aulas

Um grupo de pais de alunos de escolas particulares e uma pública de Balneário Camboriú realiza manifestação neste domingo (18), às 9h30, na faixa de areia na praia central, em frente ao Hotel Marambaia, pedindo o retorno das aulas presenciais na cidade.

O governo do Estado liberou a retomada, porém para que isso aconteça a região precisa estar em risco Alto (faixa amarela) ou Moderado (azul) para a contaminação de Covid-19, o que não é o caso de Balneário Camboriú, que na última semana retornou para o risco potencial Grave (laranja).

A médica Juliana, mãe de um menino de 5 anos, moradora de Balneário Camboriú, é uma das organizadoras da manifestação. Ela disse que o movimento Volta Às Aulas BC surgiu da união de pais e mães, que conversaram durante o feriado de 12 de outubro através de um grupo de WhatsApp. “O grupo lotou em poucas horas, nos surpreendeu”, salienta. Disso, surgiu a ideia de fazer a manifestação.

Segundo Juliana, participarão famílias de escolas públicas e privadas, professores, psicólogos, pedagogos e ‘todos que desejam apoiar’ são bem-vindos. A organização pede que os participantes usem branco.

O principal pedido da manifestação é a liberdade e o direito de levarem os filhos para a escola, respeitando o direito daqueles que não podem, precisam ou querem voltar.

“Nós que precisamos, podemos e desejamos temos esse direito. Nossos filhos têm. Em março todos tivemos medo, mas agora, passados sete meses, sabemos muito sobre a doença. Passamos pelo pico, que foi em julho, não tivemos colapso hospitalar. Tudo está funcionando, menos as escolas. Isso é um contrassenso, porque as escolas são essenciais, na Europa elas foram as primeiras a reabrir. O fechamento das escolas gera inúmeros prejuízos para as crianças, físicos, emocionais e até mesmo nutricionais”, pontua.

Cor x ou y?

A médica lembra ainda que não faz sentido o governo estadual cobrar que as cidades precisam estar ‘em cor x ou y’ para as escolas reabrir, citando que tudo está funcionando normalmente, com circulação de pessoas, como na praia, que aos finais de semana costuma ‘lotar’.

“São exageradas. Não tem base científica mais, principalmente em um local que vemos tudo funcionando. É um contrassenso, vergonhoso e criminoso, é inexplicável. São exagerados também os protocolos de segurança que estão exigindo, são numerosos e até esdrúxulos, parecem feitos para dificultar a abertura e com certeza vão prejudicar as crianças, porque vão criar um ambiente assustador para elas”, analisa.

Juliana destaca que o ato não é partidário e que esperam que os candidatos que comparecerem ‘se comportem e não apareçam lá fazendo campanha’.

“Podem apoiar, mas não fazer campanha”, completa.

O Página 3 teve acesso à lista de pais de alunos que estão participando, representando as escolas Áster, Quintal Mágico, Margirus, Energia, Construindo o Saber, Quintal Mágico, Paraíso Infantil Baby, COC, Raízes, Salesiano, Semear, Unificado e Ivo Silveira (a única pública que constava da nota).