Vereador Nilson Probst quer audiência pública sobre plantio de restinga na Praia Central

Relacionadas

Iniciou nos últimos dias o cercamento para o plantio de restinga na Praia Central de Balneário Camboriú – previsto no projeto de reurbanização do local pós-alargamento da faixa de areia. 

O vereador Nilson Probst é contra e sugere que seja feita uma audiência pública para discutir o assunto.

Segundo Nilson, quem começou a discutir se a população é a favor ou contra o plantio da restinga na Praia Central foi o ex-prefeito Edson Renato Dias, o Piriquito. Até mesmo um abaixo-assinado pedindo para que seja feita uma audiência pública foi criado.

O vereador aponta que ‘o grande problema’ é que a prefeitura ‘faz as coisas’ (neste caso, o plantio da restinga) e não comunica a Câmara de Vereadores. 

“Já mandei um ofício para o IMA-SC (Instituto do Meio-Ambiente de Santa Catarina) para saber quem fez o acordo para começar a plantar restinga. Dizem que o acordo foi plantar restinga para que para liberassem o alargamento, mas a Praia Central é extremamente urbana, não faz sentido”, comenta.

Nilson salienta que, em sua opinião, a restinga pode causar problemas de segurança na praia, com ‘vagabundos’, segundo ele, se escondendo ou guardando drogas na restinga. 

“Para nós pode vir a ser um problema muito sério. Além de que não pode cortar ou podar a restinga, então imagina ela tomando conta da calçada da Avenida Atlântica e da praia? É isso que pergunto: para que colocar restinga na Praia Central? Não existe. Sou a favor nas praias agrestes, lá tem e temos que manter, cuidar, mas por que plantar onde não tem?”, completa.

Ele cita que ‘quando o acordo é mal feito, deve ser alterado’.

“E fizeram uma besteira tremenda! Um acordo errado. Por isso, quero que seja feita uma audiência pública sobre a restinga, assim como foi feito com o engordamento da faixa de areia, para que a comunidade decida se quer ou não o plantio”, finaliza.

Mais notícias dessa editoria

Advertisment

Leia também